Dica de livro + SORTEIO!!!

08:42





Olá gente, tudo bem?
Feliz 2018!
Primeiro post do ano rsrs…

E continuemos nosso ano com muitas leituras maravilhosas, claro!!

Nossa dica de hoje é o livro Bela e o menino manchado, o primeiro da autora Agláia Tavares, e ilustrado por Francisco Dam. A autora, que é jornalista, teve a ideia de escrever essa história inspirada em dois amiguinhos de seus filhos que têm vitiligo e, pelo fato de gostar de escrever sobre as minorias, transformou em poesia uma linda história de amizade entre duas crianças.

De forma a conscientizar os pequenos (e, por extensão, os adultos) a respeito do vitiligo, (doença autoimune caracterizada pela perda da coloração da pele), surgiu Bela e o menino manchado. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia:

O vitiligo é uma doença que acomete aproximadamente 0,5% da população mundial, sendo caracterizado pela perda da pigmentação da pele.  As lesões se formam devido à diminuição ou ausência de melanócitos (células responsáveis pela formação da melanina, pigmento que dá cor à pele) nos locais afetados. As causas da doença ainda não estão claramente estabelecidas, mas diversos fenômenos autoimunes estão associados ao vitiligo. Além disso, alterações ou traumas emocionais podem estar entre os fatores que desencadeiam ou agravam a doença.

Há uma predominância, no Brasil, da ocorrência da doença nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Norte (portanto, fiquemos atentos aos sintomas..). Dia 25/05 é o Dia Mundial do Vitiligo. Você pode ter mais informações na página da Sociedade Brasileira de Dermatologia neste link.





Agora, voltando à história (rsrs)... É uma bonita demonstração de afeto entre as duas crianças que acabam de se conhecer: Bela é super extrovertida e acaba de se mudar para uma nova cidade e, na nova escola, esbarra e acaba conhecendo o Zé, o “menino manchado”, como é conhecido na escola pelos colegas. Quando pergunta à menina Sara se o viu, ela responde:

 - O Zé, eu o vi correndo embora. Ele é esquisito. Todo manchado.Tristonho e calado.
Bela engoliu o choro e logo pensou:
Calado? Tristonho? Manchado? Que diabos esse menino tem? Não vi nada de estranho. Era pra ser só um menino com o pé machucado.





As marcas do abalo psicológico sofrido pelo pequeno Zé são demonstradas nestas rimas que, aliás, percorrem ricamente todo o livro. Em mais um trecho que se percebe a dor do menino, há de se pensar (e porque não, colocar-se na posição do outro) a situação vivida cotidianamente pelas pessoas que têm vitiligo:

O menino, sempre que a via, corria.
Tinha medo dela e de todas as gurias.
Tinha vergonha da sua cor,
Da sua doença, da sua dor.





Chega a festa de aniversário de Bela e ela quer muito poder integrar seu melhor amigo junto aos outros colegas e fazê-lo se sentir bem com sua fantasia de Super-homem-mancha (eu achei super fofa essa parte!). Mas será que ela conseguiu convencê-lo de ir à sua festinha??

Você pode descobrir o final dessa linda história participando do nosso sorteio no instagram (OBA! rsrsrs).


O blog está em festa pois chegamos aos 500 seguidores e, para comemorar, vamos sortear um exemplar autografado pela autora para nossos leitores. Para saber como participar, é só conferir nesse link. Aproveita!!

Espero vocês no próximo post ;)
Um abraço e até breve,
Jaqueline

Ficha Técnica
Bela e o menino manchado
Autora: Agláia Tavares
Ilustrador: Francisco Dam
Editora: Inverso, 2017
Páginas: 36 (22x22cm)
ISBN: 9788555400889
Idade recomendada: a partir de 4 anos


TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

0 comentários

Facebook

Instagram